O Lado Oculto é uma publicação livre e independente. As opiniões manifestadas pelos colaboradores não vinculam os membros do Colectivo Redactorial, entidade que define a linha informativa.

COMBATE-SE O NEOLIBERALISMO NAS RUAS DO EQUADOR

No Equador luta-se contra o neoliberalismo e o seu cortejo de arbitrariedades, violência, austeridade e abolição de direitos. Depois de uma década de avanços sociais com as administrações de Rafael Correa, a traição de Lenin Moreno, a pressão colonial e o autoritarismo do FMI assumiram o poder e desmantelam o que foi alcançando com a Constituição de 2008. Sentindo o perigo da perda total das conquistas, os equatorianos tomaram as ruas; e o regime responde à moda pura e dura neoliberal: com repressão em vários matizes, incluindo a força bruta.

DUAS MULHERES, MUITA MISTIFICAÇÃO

Duas mulheres foram escolhidas para cargos de grande destaque no gigantesco aparelho burocrático neoliberal que é a União Europeia. Ao cabo de um opaco processo de tráfico de influências, a alemã Ursula von der Leyen emergiu como escolha final para a presidência da Comissão Europeia; e a directora-geral do FMI, Christine Lagarde, foi designada presidente do Banco Central Europeu. Duas mulheres politicamente de extrema-direita deixando atrás de si, em lugares que ocuparam recentemente, rastos de incompetência, clientelismo e corrupção. Tais nomeações, contudo, foram enaltecidas como grandes passos para a igualdade de género. Uma mistificação no meio da nuvem cerrada de mistificações em que se move a União Europeia.

QUOTAS E MERITOCRACIA

Nas eleições para o Parlamento, 45% dos eleitos em Portugal são mulheres. Tal avanço deve-se à Lei das Quotas, pelo que a universalização da representatividade política exige acção, não passividade e uma "meritocracia" distorcida.

TEMPO DE TREVAS PARA AS MULHERES DO ALABAMA

O conservadorismo cristão, de matriz medieval, vai fazendo o seu caminho nos Estados Unidos. O Alabama decidiu agora proibir o aborto.

O MASSACRE DE SHARPEVILLE E O RACISMO HOJE

Sharpeville, África do Sul, 21 de Março de 1960. O massacre de 70 pessoas ficou assinalado na história como um dos crimes mais horrendos do racismo institucionalizado. A data assinala actualmente o Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial. Porque ela existe, manifesta-se de forma menos sangrenta - a não ser em Gaza, por exemplo - mas continua insidiosamente entranhada nas nossas sociedades. Há quem rejeite a realidade da discriminação racial, também em Portugal. Um negacionismo que é, afinal, uma forma de a perpetuar e contra o qual se se realiza um acto cívico nesta quinta-feira, uma concentração no Largo de S. Domingos, em Lisboa, a partir das 18 horas.

UM OLHAR BRASILEIRO PARA O FUTURO

João Pedro Stedile, dirigente do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, perspectiva o futuro da resistência no Brasil e promove a campanha internacional para levar Lula até ao Nobel da Paz

#EleNão: MULHERES BRASILEIRAS NAS RUAS CONTRA BOLSONARO

As mulheres brasileiras encabeçam um imenso movimento de repúdio pelo candidato fascista Jair Bolsonaro às eleições do próximo domingo

AS ELITES CAPITALISTAS ENGENDRAM O FASCISMO NO MUNDO

As elites capitalistas abrem cada vez mais o caminho dos fascismos através do neoliberalismo. No Brasil, o golpe de Temer trouxe à superfície a ameaça Bolsonaro

Iniciar sessão

Recuperar password

goto top