O Lado Oculto é uma publicação livre e independente. As opiniões manifestadas pelos colaboradores não vinculam os membros do Colectivo Redactorial, entidade que define a linha informativa.

CHOVEM MILHÕES PARA OS USURPADORES DE CARACAS

“Pude dar-lhes a óptima notícia de que vou enviar 52 milhões de dólares em novos fundos da USAID para apoiar o governo interino e o povo da Venezuela”. As palavras são de Mark Greeen, presidente da Agência para o Desenvolvimento Internacional (USAID), uma entidade da esfera da CIA, durante o anúncio da dádiva de mais meia centena de milhões de dólares para os usurpadores e terroristas que pretendem derrubar o governo legítimo da Venezuela. Desde 2017, a “ajuda” directa ao golpe, só através da USAID, já ultrapassa os 550 milhões de dólares.

HONG KONG : COLONIALISMO TENTA ADIAR O INEVITÁVEL

Os protestos em Hong Kong, dirigidos e financiados por Washington, tentam apenas adiar o inevitável: o fim do colonialismo ocidental sobre o território e a sua plena integração na nação de que faz parte, a República Popular da China. A questão nada tem a ver com democracia - o governo de Hong Kong está em funções eleito democraticamente - mas sim com poder, influência e, no fundo, um dos objectivos estratégicos imperiais do momento: cercar e conter a China O que é hoje mais difícil do que em 1997, quando o Reino Unido entendeu que a devolução do território era apenas teórica..

APAGÃO: “ACONTECIMENTO DECISIVO” NA ESTRATÉGIA GOLPISTA

A Venezuela "vai entrar num período de sofrimento", profetizou o senador norte-americano Marco Rubio. Pouco depois, num passe de mágica, os venezuelanos foram vítimas do maior apagão de energia de sempre. "Maduro só produz escuridão", escreveu Pompeo, secretário de Estado norte-americano. "A luz só voltará quando terminar a usurpação" de Maduro, assegurou o "presidente interino", Juan Guaidó. Estas pequenas frases explicam o "acidente" dos cortes de energia eléctrica na Venezuela. Um "acontecimento decisivo" recomendado em memorando por um dos treinadores de Guaidó em "mudanças de regime", o sérvio Popovic, pago por Washington.

PARA SABER TUDO SOBRE O GOLPISTA JUAN GUAIDÓ

Formou-se em "revoluções coloridas" e "mudanças de governo" numa escola sérvia de terrorismo patrocinada pelos Estados Unidos; integrou a "Geração 2007", elite desestabilizadora venezuelana paga por Washington; fez estágios nas arruaças sangrentas e assassinas de 2014 e 2017 chamadas "guarimbas"; a sua carreira foi relativamente discreta até se proclamar "presidente" da Assembleia Nacional e da Venezuela depois de ter recebido um telefonema do vice-presidente dos Estados Unidos, não tendo sido eleito para qualquer dos lugares. É o escolhido por Trump para administrar, a rogo, as maiores reservas petrolíferas mundiais; e, por inerência subserviente ao mesmo Trump, é também o escolhido pela União Europeia e pelo governo de Portugal para "presidente legítimo" da Venezuela e "restaurar a democracia" no país. Conheça Juan Gaidó, o golpista venezuelano que o mundo "civilizado" e a fina flor dos media fast news veneram sem verdadeiramente curarem de saber quem é.

O PENTÁGONO E A ESTRATÉGIA DA PARANÓIA

Uma comissão de "estratégia" lançou o alerta em estilo guião de Hollywood: o Pentágono não está preparado para a guerra, é preciso mais dinheiro

Iniciar sessão

Recuperar password

goto top