O Lado Oculto é uma publicação livre e independente. As opiniões manifestadas pelos colaboradores não vinculam os membros do Colectivo Redactorial, entidade que define a linha informativa.

É OFICIAL: ESTADOS UNIDOS NA GUERRA CONTRA O IÉMEN

A notícia de que um drone militar norte-americano foi abatido sobre a cidade portuária de Hodeida, na costa oeste do Iémen, provocou grande revolta entre os habitantes porque confirma o envolvimento directo dos Estados Unidos na guerra de agressão contra o país que, segundo a ONU, provocou a pior crise humanitária do mundo e deixa quase 25 milhões de pessoas a necessitar de ajuda urgente.

DE COMO A CIA FABRICA A GUERRA CONTRA O IRÃO

No Centro de Operações da CIA para o Irão, um grupo fanático pela guerra conduz a estratégia de mudança de regime sob o comando de um perito em tortura e assassínios com drones.

ISRAEL DISPÕE DE 100 BOMBAS NUCLEARES

O Estado de Israel dispõe de quase 100 bombas nucleares, confirma o Instituto sueco SIPRI. No entanto, o governo de Telavive recusa-se a admitir essa realidade, praticando a chamada “ambiguidade nuclear”. Nem a ONU nem a AIEA querem tomar conhecimento do facto, enquanto contribuem para políticas punitivas contra Iraque, Síria e Irão por programas de extermínio massivo que, comprovadamente, não existem.

TRUMP ATACA NO CIBERESPAÇO

A resposta norte-americana contra o Irão, depois do derrube de um drone, são ataques cibernéticos, segundo fontes oficiosas. A agressão entra em fase ainda mais nebulosa.

A EUROPA A OBEDECER E A VÊ-LOS MANDAR…

O que está a acontecer contra o Irão é parte de uma estratégia norte-americana de domínio global do petróleo na qual a União Europeia alinha, em prejuízo de todos os europeus

COMEÇO DA GUERRA TRAVADO À JUSTA

O início de um conflito armado entre os Estados Unidos e o Irão esteve por muito pouco às primeiras horas de sexta-feira, 21 de Junho, quando o presidente Donald Trump ordenou um bombardeamento cuja execução suspendeu apenas a dez minutos de ser desencadeado e os militares iranianos evitaram abater um avião-espião norte-americano, com 35 pessoas a bordo, que invadira o espaço aéreo de Teerão. Apesar destes desfechos, o clima guerra iminente mantém-se na região.

A GUERRA CONTRA O IRÃO ESTÁ EM MOVIMENTO

Segundo as mais fresquinhas informações vindas directamente das águas tépidas do Golfo de Omã, a marinha dos Estados Unidos descobriu fragmentos de minas que há uma semana terão danificado dois petroleiros que estavam de passagem pela região. E segundo as inscrições nelas registadas, agora sim não há dúvida de que o autor da maldade foi o Irão, há que castigá-lo. Razão tinham o presidente Trump e os seus guardas pretorianos Bolton e Pompeo, que juravam desde o primeiro momento ter pressentido as “impressões digitais” de Teerão no incidente. Será assim?

GOVERNO DE TRUMP: SAI BOEING ENTRA RAYTHEON

Um chefe da Raytheon substitui um chefe da Boeing como secretário da Defesa. É assim que funciona o governo dos Estados Unidos.

MAIS TROPAS AMERICANAS PARA O MÉDIO ORIENTE

Os Estados Unidos decidiram enviar um reforço de mil efectivos de tropas para o Médio Oriente com o objectivo de “responder aos recentes ataques do Irão”, segundo o secretário da Defesa em funções, Patrick Shanahan. Entretanto correm informações de que o Pentágono prepara “bombardeamentos tácticos massivos” contra alvos iranianos, possivelmente locais da sua indústria nuclear civil.

WASHINGTON À DERIVA EM BUSCA DA GUERRA

Numerosos analistas de inteligência e especialistas políticos citados por vários meios de comunicação social consideram que a administração Trump não tem qualquer prova séria do envolvimento do Irão nos ataques contra petroleiros no Golfo de Omã, pelo que demonstra estar “ansiosa por uma guerra” contra este país. Uma das provas é o facto de o secretário de Estado norte-americano, Michael Pompeo, atribuir agora ao Irão a responsabilidade por ataques cometidos há duas semanas pelos Talibã no Afeganistão.

JAPÃO DESMENTE WASHINGTON; POMPEO PREPARA A GUERRA

O proprietário do navio japonês atingido no Golfo de Omã assegura que a versão dos Estados Unidos contra o Irão "é falsa". Trump tenta a guerra à revelia do Congresso

IDEIA DAS “SABOTAGENS IRANIANAS” JÁ TEM 10 ANOS

Os "incidentes" com petroleiros no Médio Oriente sucedem-se. Tal como se sucedem as acusações proferidas pelos mais altos responsáveis norte-americanos contra o Irão, sem exibirem qualquer prova do que dizem e ignorando as veementes negativas de Teerão. Escutando os tambores de guerra norte-americanos contra o Irão, já não surpreende que aconteçam coisas estranhas e pouco explicadas como os "incidentes" deste tipo. Tanto mais que já há 10 anos um poderoso think tank norte-americano, a Brookings Institution", teorizava sobre a utilidade das "provocações iranianas", em relação às quais, aliás, Teerão era "muito reservado". Isto é, não "colabora" muito.

Iniciar sessão

Recuperar password

goto top