O Lado Oculto é uma publicação livre e independente. As opiniões manifestadas pelos colaboradores não vinculam os membros do Colectivo Redactorial, entidade que define a linha informativa.

ESTADOS UNIDOS ROUBAM OURO À SÍRIA, VIA ISIS

Tropas norte-americanas usam a base ocupada de Ayan al-Arab para transferir o ouro roubado à Síria para os Estados Unidos

2019-03-03

Edward Barnes, Damasco
As forças militares norte-americanas que permanecem ilegalmente na Síria, apesar dos anúncios de retirada feitos por Donald Trump, estão a transferir toneladas de ouro roubado pelos terroristas do Isis ao Estado sírio directamente para os Estados Unidos, anuncia a publicação South Front.

A fonte original da notícia é a Agência Curda de Notícias, normalmente bem informada sobre as movimentações que ocorrem nas regiões setentrionais do território sírio.
A agência informa que o outro transferido pelas forças militares norte-americanas para os Estados Unidos ascende a 50 toneladas, num valor da ordem dos dois mil milhões de dólares aos preços actuais.
Segundo a notícia, o ouro foi confiscado a grupos do Estado Islâmico na província de Deir-ez-Ezzor e retirado da Síria através de uma base militar ocupada pelas tropas norte-americanas em Ayn al-Arab. Ainda de acordo com a mesma fonte, parte do espólio foi partilhado com a milícia curda YPG, que representa o núcleo principal das chamadas Forças Democráticas Sírias (SDF), um dos grupos terroristas directamente sustentado pelos Estados Unidos e pela “coligação internacional” supostamente anti-Isis.
A agência oficial de notícias síria SANA confirmou os movimentos em curso com o ouro roubado por grupos terroristas ao Estado sírio e do qual os Estados Unidos estão a apropriar-se. A agência dá conta do transporte por forças norte-americanas de grandes caixas com ouro na zona de Dashisheh, ao sul de Hasakah.

Ouro para a troca

O chamado Observatório Sírio dos Direitos Humanos, que funciona em Londres, afirma que grupos de membros do Isis localizados nas margens do Eufrates têm em seu poder 40 toneladas de ouro que estão a usar como moeda de troca para conseguirem sair a salvo das áreas dominadas por tropas norte-americanas. Segundo a organização londrina, tanto os terroristas das SDF como as tropas dos Estados Unidos e da “coligação” não atacam “deliberadamente” as áreas onde se encontram efectivos do Isis, para se apropriarem do ouro em troca da sua evacuação segura.
As SDF anunciaram em 28 de Fevereiro que o Isis libertou 24 membros da organização anteriormente capturados. A mesma entidade terrorista revelou que fez uma pausa nas chamadas operações anti-Isis, alegando que se trata de evitar vítimas civis. Tornou-se claro, através dos movimentos registados, que estas medidas estão relacionadas com o tráfico do ouro roubado ao Estado sírio. Mais de 350 membros do Isis renderam-se às SDF durante os últimos dias.
O roubo de ouro a Estados soberanos vítimas de agressões externas tem vindo a transformar numa forma comum de terrorismo de Estado dos países que as patrocinam.
Recentemente, o Reino Unido recusou-se a devolver à Venezuela mais de 30 toneladas de ouro depositadas por Caracas no Banco de Inglaterra. A rejeição foi consumada por diligências nesse sentido assumidas pelo secretário do Tesouro norte-americano, depois de – segundo afirmou – ter consultado os governos e os bancos centrais dos países da União Europeia.



Mais notícias...

Iniciar sessão

Recuperar password

goto top