O Lado Oculto é uma publicação livre e independente. As opiniões manifestadas pelos colaboradores não vinculam os membros do Colectivo Redactorial, entidade que define a linha informativa.

DE COMO A CIA FABRICA A GUERRA CONTRA O IRÃO

No Centro de Operações da CIA para o Irão, um grupo fanático pela guerra conduz a estratégia de mudança de regime sob o comando de um perito em tortura e assassínios com drones.

WASHINGTON À DERIVA EM BUSCA DA GUERRA

Numerosos analistas de inteligência e especialistas políticos citados por vários meios de comunicação social consideram que a administração Trump não tem qualquer prova séria do envolvimento do Irão nos ataques contra petroleiros no Golfo de Omã, pelo que demonstra estar “ansiosa por uma guerra” contra este país. Uma das provas é o facto de o secretário de Estado norte-americano, Michael Pompeo, atribuir agora ao Irão a responsabilidade por ataques cometidos há duas semanas pelos Talibã no Afeganistão.

ARÁBIA SAUDITA “ADIVINHOU” ATENTADOS NO SRI LANKA

A Arábia Saudita preveniu o pessoal da sua embaixada no Sri Lanka para não se aproximar de igrejas cristãs durante a Páscoa. Riade "adivinhou" os atentados terroristas

ESTE TEXTO FOI CENSURADO PELO FACEBOOK

O texto que a seguir se publica foi censurado pelo Facebook, segundo notificação recebida pelo autor. Publicado em Maio de 2015, o artigo parece não caber nas “normas” da casa. Ignora-se se o acto censório terá sido provocado por queixas de frequentadores ou como resultado da actividade de “fact-check que a publicação portuguesa de extrema direita Observador exerce em cooperação com o Facebook, instituindo-se assim como comissão de censura e polícia do jornalismo. Reproduz-se o texto na sua versão original, apesar de já ter quatro anos, lembrando que o oligarca Kolomoisky, nele citado, é o patrono do presidente ucraniano recentemente eleito, Vladimir Zelenskiy.

AFINAL OS ESTADOS UNIDOS FICAM NA SÍRIA

Trump avançou demasiado no marketing e o establishment corrigiu-o. Como seria de prever, tropas norte-americanas vão continuar na Síria

ESTADOS UNIDOS ROUBAM OURO À SÍRIA, VIA ISIS

Ladrão que rouba a ladrão não deixa de ser roubo. É o que os Estados Unidos fazem, apropriando-se do ouro roubado pelo Isis ao Estado sírio.

ISRAEL COM A ÍNDIA NA GUERRA DE CAXEMIRA

A Índia é o maior cliente militar de Israel; os primeiros-ministros extremistas e nacionalistas trocam afinidades ideológicas viradas contra os vizinhos muçulmanos.

TUDO SOBRE A PRESENÇA NORTE-AMERICANA EM ÁFRICA

São 34 as bases militares norte-americanas em África, concentradas principalmente no Centro e Oeste do continente e no Corno de África. Ocupação que se pretende "discreta" mas "eficaz".

PENTÁGONO RESGATA TERRORISTAS DO DAESH

Há duas semanas, tropas norte-americanas assaltaram uma prisão dos Talibã no Afeganistão para libertarem 40 comandantes do Daesh ou Estado Islâmico.

ISRAEL ESCUDA-SE EM AVIÕES CIVIS PARA ATACAR A SÍRIA

No dia de Natal, seis caças israelitas protegeram-se atrás de voos civis de passageiros para atacar os arredores de Damasco, capital síria. O acto de agressão, que viola normas elementares do Direito Internacional, não mereceu, até agora qualquer palavra de qualquer órgão da ONU, incluindo secretário-geral, e da União Europeia. O acto evidencia duas realidades: Israel sabia que a Síria não ia fazer perigar os aviões de passageiros; o sionismo recorre a todos os meios desumanos para tentar driblar a zona de exclusão aérea instalada para proteger a Síria da agressão internacional.

AS FALÁCIAS TRÁGICAS DA GUERRA E DO TERRORISMO

O segredo para combater o terrorismo não é enviar mais tropas fingir que o combatem; é deixar de financiá-lo e armá-lo.

SÍRIA E RÚSSIA OBRIGAM TRUMP A RETIRAR

Donald Trump mandou retirar as tropas norte-americanas da Síria, embora não deixando claro se mantém o apoio aos grupos terroristas infiltrados no país pelas principais potências da NATO e suas aliadas das ditaduras do Golfo. A decisão foi tomada em menos de dois meses e meio e deve-se a uma mudança da relação de forças no terreno com a entrada em funções dos novos sistemas militares fornecidos pela Rússia: as baterias defensivas S-300 e a zona de exclusão aérea sobre a Síria garantida por meios electrónicos. Desde que estes mecanismos estão operacionais os ataques aéreos da "coligação internacional" foram reduzidos em 80%; e desde 18 de Setembro que Israel não tenta qualquer incursão aérea em espaço sírio.

Iniciar sessão

Recuperar password

goto top