O Lado Oculto é uma publicação livre e independente. As opiniões manifestadas pelos colaboradores não vinculam os membros do Colectivo Redactorial, entidade que define a linha informativa.

O QUE ESCONDE A PRISÃO DE MICHEL TEMER

2019-03-23

A prisão no dia 21 do antecessor de Bolsonaro na Presidência do Brasil, Michel Temer, e do ex-ministro Moreira Franco, sogro de Rodrigo Maia, presidente do Congresso de Deputados, em guerra com o ministro da Justiça Sérgio Moro, esconde muito mais do que evidencia. Tem contornos oportunistas num momento de dificuldades e pressão que atingem o presidente em exercício. Além disso, a prisão poderia ter sido ordenada antes, mas foi sempre rejeitada. Deixamos uma leitura dos factos.

Frederico Santana Rick*, Brasil de Fato/O Lado Oculto

A prisão de Temer vem em boa hora para o governo Bolsonaro e para os defensores da reforma da Previdência. Enquanto foi útil para aprovar medidas a favor do capital financeiro e da burguesia interna, Temer foi mantido em liberdade. Provas não faltavam, mas o Congresso impediu sua prisão em duas votações. A prisão, bem no aniversário de Bolsonaro, é um gesto, um agrado ao presidente de ultradireita com propósitos fascistas.
A prisão do ex-presidente Michel Temer neste momento favorece o governo, desvia o foco da reforma da Previdência – que é o que realmente interessa aos banqueiros e, por motivos opostos, também ao povo -, fortalece a Operação Lava Jato após duas derrotas sofridas no Supremo Tribunal Federal (SPF) e na decisão do conselho do Ministério Público que impediu o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, de vir a ser o chefe da Procuradoria Geral da República (PGR). Fortalece a operação depois de ela ter sido defenestrada pelo absurdo fundo de 2500 milhões de reais que pretendia criar, com recursos dos Estados Unidos e da Petrobras. Não é por acaso que a prisão acontece um dia antes da reforma da Previdência entrar na ordem de trabalhos do Congresso Nacional.
A jogada fortalece o ministro da Justiça, Sérgio Moro, no momento que foi desqualificado pelo presidente do Congresso, Rodrigo Maia, e abre caminho para impedir novas derrotas da Lava Jato no STF. Fortalecerá ainda a campanha contra o STF, abrindo margem para o fim da “PEC da bengala” - emenda constitucional que estabelece 75 anos como limite de idade dos membros do STF - o que pode permitir a Bolsonaro indicar cinco ministros do STF. Tudo isso favorece ainda mais o controle do judiciário por interesses fascistas.

Justificar prisão de Lula

A prisão de Temer tenta ainda justificar a prisão de Lula, buscando enfraquecer o discurso de que ele e a esquerda estão a ser perseguidos. É uma manobra de diversão em plena entrega do Brasil aos interesses dos Estados Unidos da América.
A prisão está longe de ser um gesto concreto de combate à corrupção. É muito mais um lance político para ganhar a opinião pública. O saldo é a favor de Bolsonaro e sua trupe, tirando-o do foco da crise política e dos recentes dados sobre a enorme queda da sua popularidade.
A campanha do partido da Lava Jato e dos bolsonaristas continua forte. Se a população não for esclarecida, comprará gato por lebre. Se as forças democráticas não estiverem atentas, somarão forças para o crescimento do fascismo no Brasil.

*Sociólogo

Mais notícias...

Iniciar sessão

Recuperar password

goto top