O Lado Oculto é uma publicação livre e independente. As opiniões manifestadas pelos colaboradores não vinculam os membros do Colectivo Redactorial, entidade que define a linha informativa.

BREXIT OU OS ENXOVALHOS DA DEMOCRACIA

Brexit ou a saga da saída do Reino Unido da União Europeia é um episódio claro, e muito sério, de como é tratada a democracia, ou o que dela resta, no Ocidente que se afirma como fiel depositário dos direitos humanos e dos valores civilizacionais. A uma decisão límpida e democrática, como a assumida pelos britânicos no referendo sobre a permanência ou não na União Europeia, seguiu-se uma enxurrada de manobras, chantagens, humilhações, golpes sujos e baixos – sempre desprezando os cidadãos – para tentar reverter a decisão da consulta ou, pelo menos, tornar as suas consequências exemplares para qualquer país que deseje seguir pelo mesmo caminho.

BREXIT SERVIDO COM TROPA?

A NATO marcou manobras na Grã-Bretanha num período que coincide com as datas originais do Brexit, sendo que o governo de May prepara a lei marcial no Reino Unido contra a "desobediência civil". Brexit ou "juízo final"? Tropa contra vontade popular?

AS FALÁCIAS TRÁGICAS DA GUERRA E DO TERRORISMO

O segredo para combater o terrorismo não é enviar mais tropas fingir que o combatem; é deixar de financiá-lo e armá-lo.

GOVERNO DE ISRAEL É XENÓFOBO E ANTI-SEMITA

Anti-semitismo é "ódio contra os judeus", reza uma definição que agora foi assumida pela União Europeia. Uma definição que é xenófoba porque marginaliza as formas de ódio contra outros povos semitas, por exemplo os árabes. A versão assumida pelos ministros da União, e que pode servir de base para criminalizar "actos de anti-semitismo", funciona antes como barreira às críticas a Israel, cujo governo tem ele próprio um comportamento anti-semita, xenófobo e racista em relação aos árabes, principalmente os palestinianos.

Iniciar sessão

Recuperar password

goto top